sexta-feira, 6 de setembro de 2013


 IGREJA ECUMÊNICA LIVRE FIÉL EM DEUS UNO –m IELFDU

Seja bem vindo, que os Atributos de Deus estejam convosco.

A Doutrina Ecumênica da Religião e da IGREJA ECUMÊNICA LIVRE FIÉL EM DEUS UNO –m IELFDU está fundamentada na Bíblia Sagrada, sempre estudada em Espírito e Verdade à luz do Novo Mandamento de Jesus: “Amai-vos como Eu vos amei. Somente assim podereis ser reconhecidos como meus discípulos”. (Evangelho do Cristo Ecumênico segundo João, 13: 34 e 35).


Estatutos da IGREJA ECUMÊNICA LIVRE FIÉL EM DEUS UNO –m IELFDU
I E L F D U
CASA DE DEUS
IGREJA ECUMÊNICA LIVRE FIÉL EM CRISTO
AMAI-VOS e INSTRUÍ-VOS
DEUS, JESUS CRISTO, ESPÍRITO SANTO E CARIDADE

A
IELFDU representa uma
“Nova Alvorada”
para a Humanidade.
IGREJA ECUMÊNICA LIVRE FIÉL EM DEUS UNO –m IELFDU
Casa de Deus
OBRA GLORIFICANDO O NOME DE DEUS
DEUS! NOSSO MESTRE E SENHOR

CNPJ (MF)
SEDE: localizada na gleba Fazenda Serra, constituída do lote 37 da Gleba 15 do Loteamento Fazenda Serra – conhecida como “Lagoa da Onça” –, situada no Município de São Miguel do Tocantins – TO
SÃO MIGUEL – TO – BRASIL – CEP. 00.000-000
IMPERATRIZ – MA – BRASIL CEP 65.907-010
Escritório: Fone/Fax: (0xx99) 3525-3584 - 3072-3073 - 8204 2393 TIM – 8828 9807 OI – 9136 3969 VIVO


APRESENTANDO A IGREJA ECUMÊNICA LIVRE FIÉL EM DEUS UNO –m IELFDU

Neste novo tempo do Século 21 da Era Cristã, sob as luzes da revelação espiritual, funda-se no Brasil uma Obra Religiosa Espiritual de Natureza atributiva aos fundamentos dos Atributos de Deus, Ecumênica e de aceitação dos postulados: a IGREJA ECUMÊNICA LIVRE FIÉL EM DEUS UNO –m IELFDU. (Jo.14:15,16,17,26;16:7-14) (vide A Bíblia);

A IGREJA ECUMÊNICA LIVRE FIÉL EM DEUS UNO –m IELFDU foi fundada para propiciar aos homens [cristãos e não cristão] um vasto campo de conhecimento e desenvolvimento da fé raciocinada, com a razão iluminada, este voltado a vivência integral dos tributos de Deus e do Cristianismo, sob o enfoque doutrinário Ecumênico. Em verdade, a IELFDU tem uma lídima pretensão: operar a transformação social, política e religiosa e promover a convergência do Povo de Deus para o entendimento e aceitação da ideal e real presença viva de Jesus Cristo como Única LUZ e Governante Planetário do Povo de Deus (Jo.10:16), mesmo sabendo, porém, que tal atividade não se realizará com a centralização de todo o Povo de Deus em uma única “Entidade”, “Governo Material” ou “Igreja” essa(e)s influenciada(o)s pela vontade e poderes terrenos ou, da mesma forma por Um Só Sistema Governamental Terreno. Toda a influência será Espiritual! Jesus Cristo governa() o Mundo! (Isaias-Caps.11;12;13;14;16:1-5). Embora diversas, todas as igrejas, as entidades associativas e o(s) governo(s), trabalharão para um fim comum: vivenciar o cristianismo na sua forma mais simples, por intermédio de uma viva e real prática igualitária, consensual, fraternal, ecumênica, promovendo-se a convergência de todo(a)s para o(um) “Movimento de Nova Consciência e de Prática Ecumênica. Tarefa, reconhecidamente, de difícil execução; (Mt. 24:1-51; Mc.1:37; Efésios. 4:1-32; 5:1-21) - Contudo possível. Tal, entre outros, um dos objetivos da IELFDU.

Justa e apropriadamente correta é dizer-se e afirmar-se que a IGREJA ECUMÊNICA LIVRE FIÉL EM DEUS UNO –m IELFDU é uma Obra Co-fundada, sobretudo devido a sua originária raiz religiosa espiritual e por não ser a sua autoria e fundação fruto de uma concepção e criação humana, seja individual ou grupal. Uma vez materializada e concretizada no Plano Material Terreno, pela via espiritual religiosa e da lavra instrumental e intermediária humana, verdadeiramente lógico e também justo é afirmá-la como sendo Obra Co-fundada por intermédio do receptor; e não uma Obra por ele Fundada. Tudo em respeito à Verdade. (João-14:15,16,17-26; 16:7-15).

Os Espíritos [A Espiritualidade] de todas as ordens, as pessoas de quaisquer nacionalidades ou religiosidades, que optarem por aceitar e servir (At.2:17,18; Joel.2:28,29) a uma causa dessa dimensão, sem dúvida acolherão a IELFDU e nela atuarão com vigor espiritual, fraternidade, fidelidade, probidade, ética e harmonia. A organização física e hierárquica da IELFDU respeita o esforço dos primitivos organizadores (os Apóstolos) da Igreja Cristã, e aceita-os: o Corpo de Membros; o Diaconato; o Presbitério e o Bispado (Pastorado e/ou Mentorado e/ou Ministério e/ou Conselheiro); o Batismo; o Dízimo; as Ordenanças variadas; o Comissionamento e a outorga de procurações especiais e específicas; compõem clássica e efetivamente o modelo administrativo da IELFDU.

Logicamente, a IELFDU pretende ser aceita e vivênciada por todos; sobremaneira, pelos que se intitulam cristãos. Entretanto, as pessoas que estiverem satisfeitas em participarem como filiadas das diversas organizações religiosas existentes, decerto, não comporão os Quadros de Membros da IELFDU; mas, certamente, a respeitarão e não oporão obstáculos às suas atividades. A IELFDU, como IGREJA ECUMÊNICA, se destina àqueles que, em espírito e verdade, através de um justo sentimento fraternal, solidário e divino, servem à Deus, por intermédio de Jesus Cristo e do Espírito Santo, Este manifestando-se via incontáveis falanges de espíritos missionários; seja na Terra, seja na Pátria Espiritual ou no intercâmbio entre as duas Pátrias.

Conhecendo a IGREJA ECUMÊNICA LIVRE FIÉL EM DEUS UNO –m IELFDU, vivenciando suas reuniões e cultos, estudando seus Estatutos Constitutivos; a Carta Teológica Cristã Ecumênica, - O Seu Credo – A Sua Profissão de Fé, decerto, os que a aceitarem serão muito mais racionais, realistas, progressistas, espirituais, sociais e felizes, vez que praticarão o ensino de Jesus Cristo: “Conhecereis a verdade e a verdade vos Libertará”.(Jo.8:32).

Desde já, nesta atual existência, aqui mesmo no planeta Terra, suas vidas e seus futuros serão abençoados e prósperos, inclusive materialmente, pois que bons administradores e cooperadores dos dons da vida serão. (Mt.24:31-51)

Aceite o convite! Seja membro da IGREJA ECUMÊNICA LIVRE FIÉL EM DEUS UNO –m IELFDU.

Seja bem-vindo!

Ave Cristo! Os que amam à DEUS Te Servem e Te Saúdam!

Câmara do Preceptor da IGREJA ECUMÊNICA LIVRE FIÉL EM DEUS UNO –m IELFDU

Negreiros, Deuzimar Menezes, Professor, Pedagogo, Filósofo e Teólogo
Raimundo Pinto, Professor, Teólogo, Filósofo e Psicoterapeuta Clínico
  
IMPERATRIZ, ESTADO DO MARANHÃO, BRASIL


*ESTATUTOS SOCIAIS CONSTITUTIVOS

Da

IGREJA ECUMÊNICA LIVRE FIÉL EM DEUS UNO –m IELFDU


*Fundamento Legal: Constituição Federativa do Brasil, artigo 5º, incisos: V, VI, VII, VIII, IX, X, XVI, XVII, XVIII, XIX, XX, XXI, XXVII, XXVIII, XXIX, XXX, XXXIV, XXXVI, XLI, LXVIII, LXIX, LXX, letra “b”, LXXVII; o artigo 19, I; o artigo 150, inciso VI, letra ”b”. Estatutos conforme o disposto nos artigos 44, IV, e Parágrafo Único à 69 do “Novo” Código Civil Brasileiro - Lei nº 10.406 de 10 de Janeiro de 2.002 e Lei nº 10.825 de 22.12.2003. Diz a citada Lei: art.44: São pessoas jurídicas de direito privado: IV – as organizações religiosas. §1º - São livres a criação, a organização, a estruturação interna e o funcionamento das organizações religiosas, sendo vedado ao poder público negar-lhes reconhecimento ou registro dos atos constitutivos e necessários ao seu funcionamento. Parágrafo único do art. 2.031- O disposto neste artigo não se aplica às organizações religiosas...]


*Fundamento Religioso: Os Estatutos Constitutivos - Da Constituição Orgânica - Do Programa das Crenças”(Vide: A Bíblia - Exposição de Motivos - Considerações Preliminares - Dos Cismas – Comitê Central – Instituições Acessórias e Complementares do Comitê Central – Círculo de Atividades do Comitê Central – Os Estatutos Constitutivos – Do Programa das Crenças – Recursos e Haveres – Nova Constituição – e Ordenados conforme a Tradição Bíblica, Sociológica, Administrativa, Organizacional, Métodos e Pedagógica da IELFDU –m IGREJA ECUMÊNICA LIVRE FIÉL EM DEUS UNO – CNPJ. nº ooooooooooo.



IGREJA ECUMÊNICA LIVRE FIÉL EM DEUS UNO

Estatuto Social



De acordo com o artigo 44 § do Código Civil: “São livres a criação, a organização, a estruturação interna e o funcionamento das organizações religiosas, sendo vedado ao poder público negar-lhes reconhecimento ou registro dos atos constitutivos e necessários ao seu funcionamento“.
  

Estatuto Social da

IGREJA ECUMÊNICA LIVRE FIÉL EM DEUS UNO


CAPÍTULO I

DENOMINAÇÃO, DURAÇÃO, SEDE E FINALIDADE

Art. 1º - A IGREJA ECUMÊNICA LIVRE FIÉL EM DEUS UNO ou simplesmente IELFDU ou ainda IGREJA ECUMÊNICA, com sede no município de São Miguel do Tocantins - TO, lote 37 da Gleba 15 do Loteamento Fazenda Serra, área rural conhecida como “Lagoa da Onça” e Escritório na cidade de Imperatriz, do Estado do Maranhão, na Rua Fortunato Bandeira nº 1715-A, do Bairro Nova Imperatriz é uma organização religiosa, de caráter civil, no âmbito do direito privado, sob a tutela da Lei Federal nº 10.406/02 e alterações eminentes do art. 44, inc. IV, parágrafo 1º e parágrafo único do art. 2.031, dispostas na Lei Federal nº 10.825/2003, de cunho filantrópico, sem fins lucrativos e de duração ilimitada.

Art. 2º - A IGREJA ECUMÊNICA LIVRE FIÉL EM DEUS UNO –m IELFDU reger-se-á por este Estatuto, disposições legais e normas regimentais que lhe forem aplicáveis. A IELFCrist reconhece como seu único mentor e suprema autoridade somente Deus, e para seu governo, em matéria de fé, culto, disciplina e conduta, rege-se pela Bíblia Sagrada, por escrituras de Teologia Cristã e pelos preceitos do Reverendo Mentor Doutrinador-Presidente.

Art. 3º - São finalidades da IGREJA ECUMÊNICA LIVRE FIÉL EM DEUS UNO –m IELFDU:

a) Dedicar-se ao estudo e à prática do Ecumenismo e da Bíblia Sagrada, no seu tríplice aspecto: Filosófico, Científico e Religioso/Teológico, consoante os princípios codificados por todas as religiões em que se pregam o Evangelho de Deus;

b) Difundir a Doutrina Ecumênica por todos os meios lícitos e compatíveis ao seu alcance;

c) Exercer atividades de natureza educacional e assistencial e de promoção humana sob à Doutrina Ecumênica;

d) Levar o conhecimento da Religião Ecumênica, do Cristianismo, e toda a forma de Filosofia e Teologia de Paz e Amor ao próximo;

e) Levar a palavra do Evangelho por todo o mundo através de missionários e promover por todos os meios e modos ao seu alcance o estabelecimento do reino de Deus na terra;

f) Respeitar todos os seres vivos como a si próprio;

g) Responder e obedecer as leis e regras colocadas neste estatuto e em ata, e acima de tudo, ir de acordo com a constituição da Comunidade Ecumênica Internacional;

h) Fundar, manter, administrar e custear estabelecimentos educativos e obras de ação social;

Parágrafo único: É princípio da IGREJA ECUMÊNICA LIVRE FIÉL EM DEUS UNO –m IELFDU não fazer parte, por si e por seus membros, de sociedade secreta, de organizações heréticas ou de movimentos que fujam aos ensinamentos Ecumênicos.

CAPÍTULO II

DOS SÓCIOS, SEUS DIREITOS E DEVERES

Art. 4º - A IGREJA ECUMÊNICA LIVRE FIÉL EM DEUS UNO –m IELFDU compor-se-á de número ilimitado de sócios.

Art. 5º - Os sócios serão, administrativamente, assim considerados:

a) Administrativos - os ecumênicos que forem admitidos, maiores de 18 anos, que, voluntariamente, contribuírem através de mensalidade fixada pela Diretoria, ou com valor superior, a critério do associado;

b) Colaboradores - os simpatizantes que, sem tomar parte na administração da Igreja, queiram, voluntariamente, ajudá-la a cumprir suas finalidades.

Art. 6º - Para ser admitido como sócio administrativo é necessário que a pessoa esteja participando ativamente das atividades da Igreja há mais de um ano, seja declaradamente ecumênico, receba o chamado Divino através do Reverendo Mentor Doutrinador, tenha preenchido proposta para esse fim e seja aprovada pelo Conselho Deliberativo.

Art. 7º - São deveres dos sócios:

a) Estudar a Doutrina Ecumênica, envidando esforços para pôr em prática seus elevados ensinamentos, em todas as circunstâncias da vida;

b) Desempenhar com amor, probidade e ética os cargos ou tarefas que lhes forem confiados;

c) Tudo fazer ao seu alcance, visando o progresso espiritual, religioso, mental, material e social da IGREJA ECUMÊNICA;

d) Pagar, em dia, as mensalidades estipuladas;

e) Comparecer às Assembleias Gerais e cooperar nos trabalhos e iniciativas que a entidade venha a planejar e executar;

f) Colaborar nos movimentos e nas obras educativas, assistenciais e de promoção humana de caráter coletivo, de que à Igreja participe.

Art. 8º - São direitos dos sócios administrativos:

a) Votar e ser votado para cargos eletivos do Conselho Deliberativo da IGREJA ECUMÊNICA;

b) Recorrer, em primeira instância, à Diretoria Executiva e em segunda instância, ao Conselho Deliberativo, nos assuntos que se refiram a qualquer violação estatutária que confronte com os objetivos elencados neste Estatuto.

Art. 9º - O sócio cuja conduta moral, associativa ou pública, se comprove não ser conveniente aos objetivos da IGREJA ECUMÊNICA poderá ser excluído de seu quadro social, após aprovação por maioria absoluta dos membros do Conselho Deliberativo.

CAPÍTULO III

DO CONSELHO DELIBERATIVO

Art. 10 - O Conselho Deliberativo é composto de 5 membros, com atribuições administrativas e fiscais, eleito pela Assembleia Geral. A administração dos negócios da igreja será exercida pelo Reverendo Mentor Doutrinador-presidente. A diretoria da IGREJA ECUMÊNICA, que se comporá de um presidente, um vice-presidente, dois secretários (1º e 2º) e dois tesoureiros (1º e 2º), exercerá suas funções de acordo com os deveres atribuídos a cada um, descritos em regimento interno.

Art. 11 - Ao Conselho Deliberativo compete:

a) Deliberar, por maioria de votos, sobre os assuntos de ordem doutrinária e administrativa da entidade e que não contrariem os dispositivos deste Estatuto;

b) Eleger a cada dois anos, até o mês de outubro dos anos pares, dentre os seus membros, por escrutínio secreto ou por aclamação, do Conselho Deliberativo, os quais exercerão os mesmos cargos na Diretoria Executiva;

c) Deliberar, em suas reuniões, sobre atos da Diretoria Executiva, inclusive sobre a gestão financeira;

d) Autorizar a Diretoria Executiva a fazer gastos extraordinários quando solicitados;

e) Destituir quaisquer membros dos órgãos de administração, mediante prova de grave deslize no exercício de suas funções ou em qualquer outro caso que redunde em incompatibilidade moral com o cargo, desde que com a aprovação do Reverendo Mentor Doutrinador-Presidente;

f) Resolver os casos omissos neste Estatuto.

Art. 12 – Os membros do Conselho Deliberativo ou Executivo perderão o mandato, quando ocorrer um dos seguintes motivos:

a) Morte, destituição ou cassação segundo os termos da letra e do artigo anterior, ou no caso de renúncia;

b) Não comparecimento, sem motivo justificado, a três reuniões consecutivas ou seis reuniões intercaladas, no decorrer de um mandato da Diretoria Executiva;

c) O presidente, que será por força do seu cargo o Reverendo Mentor Doutrinador da IGREJA ECUMÊNICA, será vitalício;

Parágrafo único: na hipótese de ocorrer o estabelecido neste artigo, se o cargo for de Presidente, o Vice-Presidente assumirá até o complemento do mandato; se o cargo for o de Vice-Presidente, o Conselho Deliberativo fará a eleição para completar o mandato do destituído e se o cargo for de membro do Conselho Deliberativo este convocará um suplente para completar o mandato, observando a ordem decrescente da votação realizada na Assembleia Geral anterior.

CAPÍTULO IV

DA DIRETORIA EXECUTIVA

Art. 13 - A Diretoria Executiva tem por fim prover a administração da IGREJA ECUMÊNICA, com poderes amplos para dar cumprimento às disposições estatutárias e regimentais ou às decisões do Conselho Deliberativo.

Art. 14 - A Diretoria Executiva compõe-se de:

- Presidente:
- Vice-Presidente;
- Secretário-Geral;
- 1º Tesoureiro;
- 2ª Tesoureiro;
- Diretores de Departamentos.

Parágrafo único - O Presidente e o Vice-Presidente serão eleitos na forma do artigo 12, letra c deste Estatuto, e os demais membros da Diretoria, de livre nomeação e dispensa do Presidente, mediante homologação do Conselho Deliberativo.

Art. 15 - São os seguintes os Departamentos da IGREJA ECUMÊNICA, além de outros que poderão ser criados: Doutrinário, de Infância e Juventude (DIJ), de Educação e do Serviço Social Ecumênico, etc...

Art. 16 - Ao Presidente compete:

a) Representar a entidade judicial ou extrajudicialmente, ativa ou passivamente, podendo delegar poderes ou constituir procuradores, quando necessário;

b) Cumprir e fazer cumprir as disposições estatutárias e regimentais;

c) Presidir as reuniões da Diretoria Executiva e do Conselho Deliberativo;

d) Prover, diretamente, ou por seus auxiliares, os serviços administrativos;

e) Firmar contratos e compromissos, receber e dar quitação, firmar outros atos de caráter econômico ou financeiro, ordenar o pagamento das despesas ordinárias e pedir ao Conselho Deliberativo autorização para as despesas de caráter extraordinário;

f) Apresentar ao Conselho Deliberativo, até à reunião do mês de setembro, relatório escrito circunstanciado e exposição dos fatos principais ocorridos durante o exercício financeiro;

g) Inventariar os bens da IGREJA ECUMÊNICA LIVRE FIÉL EM DEUS UNO –m IELFDU;

h) Escolher e submeter à homologação do Conselho Deliberativo, seus auxiliares administrativos dentre os sócios administrativos;

i) Propor ao Conselho Deliberativo a criação de Departamentos e serviços.

Art. 17 - Ao Vice-Presidente, compete substituir o Presidente nos seus impedimentos e coadjuvá-lo na administração da IGREJA ECUMÊNICA.

Art. 18 - Ao Secretário-Geral compete:

a) Organizar e dirigir os trabalhos relativos à Secretaria;

b) Ter sob sua guarda e responsabilidade o arquivo, livros e todo o material pertencente à Secretaria;

c) Receber e expedir a correspondência, dando-lhe o competente destino;

d) Fazer e assinar, por delegação do Presidente, os editais, avisos de convocação do Conselho Deliberativo e outros;

e) Secretariar as reuniões da Assembleia Geral, do Conselho Deliberativo e da Diretoria Executiva, lavrando as respectivas atas;

f) Substituir o Presidente nos impedimentos do Vice-Presidente e a este nos seus impedimentos.

Art. 19 - Ao 1º Tesoureiro, compete:

a) Manter em ordem os livros, documentos e material da Tesouraria;

b) Assinar, com o Presidente, todos os documentos que representem valor, especialmente depósitos e retiradas em estabelecimentos bancários ou congêneres;

c) Efetuar, mediante comprovante, os pagamentos autorizados;

d) Organizar o balanço geral do ano social, a fim de ser apresentado anexo ao relatório da Diretoria ao Conselho Deliberativo;

e) Distribuir com o 2º Tesoureiro, os serviços de suas atribuições;

Art. 20 - Ao 2º Tesoureiro, compete:

a) Substituir o 1º Tesoureiro nas suas faltas ou impedimentos;

b) Auxiliar o 1º Tesoureiro no desempenho de suas atribuições.

Art. 21 - Aos Diretores de Departamento, compete:

a) Elaborar as programações do seu respectivo Departamento, submetendo-as à aprovação da Diretoria Executiva;

b) Supervisionar a execução das programações;

c) Assessorar o Presidente nos assuntos da área do seu Departamento;

d) Substituir, quando designado pelo Presidente, o Secretário-Geral, ou a Diretoria de qualquer outro departamento.

CAPÍTULO VI

DAS ELEIÇÕES, DA ASSEMBLEIA GERAL, DO MANDATO E DAS REUNIÕES

Art. 22 – Na Assembleia Geral de Sócios, convocada para a eleição do Conselho Deliberativo, somente terão direito a voto os sócios administrativos, maiores de idade nos termos da legislação civil e que estejam quites com seus deveres sociais.

Art. 23 - Para votar ou ser votado na Assembleia Geral, para membro do Conselho Deliberativo, é necessário que o sócio administrativo tenha, no mínimo, dois anos de efetiva participação nas atividades da IGREJA ECUMÊNICA LIVRE FIÉL EM DEUS UNO –m IELFDU, conforme disposto no art. 7º e esteja com situação regular perante a Tesouraria.

Art. 24 - Os membros do Conselho Deliberativo serão eleitos pela Assembleia Geral, composta pelos sócios administrativos, amparados pelo art. 8º deste Estatuto, a cada dois anos, até o mês de outubro dos anos pares ou ímpares, devendo sua posse se dar na mesma oportunidade.

Art. 25 - O Presidente e o Vice-Presidente serão eleitos pelo Conselho Deliberativo, o presidente, que será por força do seu cargo o Reverendo Mentor Doutrinador da IGREJA ECUMÊNICA, será vitalício, dentre seus membros, em reunião realizada logo após a Assembleia Geral e sendo empossados no prazo de trinta dias.

Parágrafo único - É permitida reeleição consecutiva para o mesmo cargo.

Art. 26 - A convocação da Assembleia Geral deverá ser feita, no mínimo, com quinze dias de antecedência, fazendo constar nesta a ordem do dia, ou de extrema urgência a pedido do Presidente.

Art. 27 – A Diretoria Executiva reunir-se-á bimensal ou trimestralmente e o Conselho Deliberativo reunir-se-á ordinariamente a cada três meses e, extraordinariamente, sempre que convocado pelo Presidente ou pela maioria dos membros do Conselho.

CAPÍTULO VII

DO PATRIMÔNIO

Art. 28 - O Patrimônio da IGREJA ECUMÊNICA LIVRE FIÉL EM DEUS UNO –m IELFDU se constitui de bens e valores legalmente arrecadados ou adquiridos.

Art. 29 - O patrimônio pertencente à IGREJA ECUMÊNICA poderá ser onerado ou alienado, somente em caso de comprovada necessidade para atender os fins da IGREJA ECUMÊNICA e desde que aprovado, no mínimo, por dois terços dos membros do Conselho Deliberativo.

Parágrafo único: A cessão de dependências da IGREJA ECUMÊNICA para uso de moradia com finalidade de guarda do patrimônio, somente será permitida através de contrato de comodato e com prévia autorização do Presidente.

Art. 30 - Em caso de dissolução ou extinção da IGREJA ECUMÊNICA LIVRE FIÉL EM DEUS UNO –m IELFDU, o seu eventual patrimônio será doado para caridade na mesma cidade ou região, o Presidente indicará uma ou mais instituições ou bairros e pessoas para serem beneficiadas.

CAPÍTULO VIII

DAS DISPOSIÇÕES GERAIS

Art. 31 - O presente Estatuto poderá ser reformado em parte ou no todo por, no mínimo, dois terços dos membros do Conselho Deliberativo, sendo inalterável a natureza Ecumênica da entidade, suas finalidades e sua destinação patrimonial (art. 3º e art. 30), sob pena de nulidade absoluta.

Art. 32 – A IGREJA ECUMÊNICA LIVRE FIÉL EM DEUS UNO –m IELFDU:

a) Aplica integralmente suas rendas, recursos e eventual resultado operacional na manutenção e desenvolvimento dos objetivos institucionais no território nacional e internacional;

b) Não remunera a seus diretores, conselheiros, sócios, instituidores, benfeitores ou equivalentes, mas pode remunerar ou estabelecer uma ajuda de custo ao Reverendo Mentor Doutrinador;

Art. 33 - Os sócios da IGREJA ECUMÊNICA não respondem nem mesmo subsidiariamente pelas obrigações sociais da mesma.

Art. 34 - É vedado o exercício, no recinto da IGREJA ECUMÊNICA, de quaisquer práticas que contrariem a orientação doutrinária Ecumênica.

Art. 35 - O presente estatuto entrará em vigor a partir da data de sua aprovação.

AUTORIZADOS OS REGISTROS E PUBLICAÇÃO.
 
São Miguel do Tocantins, -----, ------, ------
Câmara da Presidencia da Comunidade
Mentoria Espiritual e Elaboração do projeto:
Negreiros, Deuzimar Menezes: Professor, Pedagogo, Filósofo e Teólogo
Raimundo Pinto de Sousa: Professor, Teólogo, Filósofo e Psicoterapeuta Clínico









Todas as Igrejas Ecumênicas
Para o mundo inteiro ecumênico
http://4.bp.blogspot.com/_q-v5qXSh164/S2wileD4Y8I/AAAAAAAAAM0/Rer_Gh8j7-w/s320/igrejas.jpg







1.       IDENTIFICAÇÃO
Comunidade Terapeutica Ecumenica Livre Fiél em Cristo
Escola Sócio Ambiental Lagoa da Onça
2.     TITULO DO PROJETO:
Recuperação de Dependentes Químicos
3.     INSTITUIÇÃO PROPONENTE:
Comunidade Terapêutica Ecumênica Livre Fiél em Cristo
4.     DADOS DA INSTITUIÇÃO MANTENEDORA:
IGREJA ECUMÊNICA LIVRE FIÉL EM CRISTO
Fundação Brasil de Fomento à Educação Ambiental e Humanística
CNPJ-MF: Nº 02.768. 848/0001-90
Endereço: Rua Fortunato Bandeira nº 1715-A
CEP: 65.907-010 – Nova Imperatriz – Imperatriz - MA
Fone: (99) 3525-3584 – 8154 0899 – 8111 8177
C/C: xxxxx-x - Banco do Brasil Agência: 6644-0
RESPONSÁVEL: Professor Negreiros, Deuzimar Menezes
Profissão: Professor, Pedagogo, Filósofo e Teólogo
5.     RESPONSÁVEL PELA INSTITUIÇÃO PROPONENTE:
Nome: Raimundo Pinto de Souza
C.P.F. 192.855.402-44 RG: 416157955 SSP/MA
Endereço: Escritório: Rua Fortunato Bandeira, 1715-A
CEP: 65.907-010 - Nova Imperatriz
Profissão: Professor, Teólogo, Filósofo e Psicoterapeuta Clínico
Função na Instituição: Diretor da Comunidade Terapêutica Ecumênica Livre Fiél em Cristo
Fone: (99) 3072-3073 - 8204 2393 TIM – 8828 9807 OI – 9136 3969 VIVO

M.D.Sr[ª].  ______________________________________________________
Diretor/Gerente da










Projeto de Recuperação de Dependentes Químicos





Proposta e Planejamento da Metodologia de Funcionamento da Comunidade Terapeutica Ecumenica Livre e Fiel em Cristo "CTELFiC"
Escola Sócio Ambiental Lagoa da Onça






Mentoria e Elaboração do projeto:
Professor, Teólogo, Filósofo e Psicoterapeuta Clínico Raimundo Pinto de Sousa
Professor, Pedagogo, Filósofo e Teólogo Negreiros, Deuzimar Menezes

Imperatriz, MA
Brasil









01 - Introdução
02 - Sobre as Drogas
03 - Objetivo Geral
04 - Objetivo
05 - Objetivo Especifico
06 - Publico Alvo
07 - Modalidade  de Tratamento
08 - Localização
09 - Método de Trabalho
10 - Equipe Multidisciplinar-Profissionais
11 - Planta Baixa
12 - Orçamento
13 - Parceiros e Colaboradores
14 - Parecer Técnico
15 - Parecer Jurídico
16 - Anexos





“Só sabe a dor da família de um dependente químico, aquele que é família, o ser humano é capaz de agüentar mais do que possamos imaginar" J Maia

Introdução
Temos assitido passivamente, mas com indignação, o crescimento vertiginoso do consumo de drogas por todos os cantos de nosso pais. É surpreendente a ênfase que se atribui a este assunto sem as devidas ações significativas de prevenção e recuperação dos drogaditos. A mídia destaca em manchetes, o abuso do uso de drogas entre nossa juventude que a cada dia que passa fica muito mais exposta ao risco de ser mais um que futuramente será um dependente de drogas nocivas à saúde e à sociedade. Raros são os dias em que não são abordados este tema na mídia brasileira. Em telenovelas, jornais, rádios e filmes o problema é apresentado. É assunto universal.
Hoje é uma questão de saúde publica, portanto, nós enquanto sociedade civil, precisamos urgentemente fazer alguma coisa em beneficio daqueles que já estão em fase quase que terminal, e iniciar uma campanha de prevenção bem elaborada e que sensibilize a opinião publica. O consumo de drogas ilícitas atinge em torno de 4,2% da população mundial e a maconha como porta de entrada é uma das mais consumidas, seguida da Cocaína, Ópio, heroína, merla e agora a epidemia de Crack. Porém a droga mais consumida no planeta é o álcool, atribui-se a esta droga licita 63% da fatia de usuários desta droga.
O desafio está aí para ser encarado, e acreditamos que só com efetiva participação de todos haveremos de contribuir para mudanças tão esperadas no âmbito das drogas. Não devemos nos intimidar, muito menos nos omitir.
O presente projeto visa sensibilizar as autoridades de nosso município, estado e país para que possamos formar uma equipe coesa e trabalhar no desenvolvimento de uma Comunidade com um Centro de Recuperação totalmente equipado com cerca de 60 leitos e programas específicos para objetivar a recuperação de dependentes químicos da nossa cidade. Este projeto estabelece um critério diferente de muitos que já conhecemos, está descrito nas páginas seguintes que irão pormenorizar todos os detalhes da metodologia de funcionamento, bem como, orçamento, programas de recuperação, equipe rnultidisciplinar, e demais requisitos necessários para o bom funcionamento técnico do trabalho a ser desenvolvido. Esperamos estar contribllindo para termos uma sociedade distante das drogas e com isso mais saudável.


Sobre as drogas
A Organização Mundial da Saúde - OMS, em 1969, definiu drogas corno sendo "todas as substancias que ao serem introduzidas no organismo, por qualquer via, são capazes de modificar uma ou várias funções”. O termo droga teve origem na palavra droog (holandês antigo) que significa "folha seca", Essa denominação se deve ao fato de antigamente quase todos os medicamentos eram feitos à base de vegetais. Atualmente a medicina define droga como “substancia capaz de modificar a função dos organismos vivos, resultando em mudanças fisiológicas ou de comportamento”.
As drogas, quanto a sua natureza, podem ser naturais, semi-sinteticas e sintéticas. Naturais são as extraídas das plantas, ervas, vegetais etc, Sem manuseio de laboratórios.
As semi-sinteticas quando em sua composição entram-se princípios ativos naturais e artificiais produzidos em laboratórios e, por ultimo, as sintéticas, que são produzidas integralmente em laboratórios.
O celebro é um órgão imprescindível á vida e um dos mais complexos órgãos que nós temos. Pesa apenas 1 quilo e meio aproximadamente, e consome cerca de 20% de todo oxigênio que se precisa para manter nossas atividades normais.
É um órgão ultra-cornplexo, formado por bilhões de neurônios Estima-se que o cérebro seja composto por um trilhão de células nervosas, das quais 100 bilhões são neurônios. Além dos neurônios temos outros grupos de células que dão sustentação, nutrição, irrigação sanguínea e garantem outras funções para manter o cérebro funcionando normalmente.
Nessa área especificamente sobre dependência e o uso de drogas, por ser o cérebro a sede material onde elas agem e ser sede de nossas vivencias, seu estudo passou a ter importância muito grande para se compreender como estes fenômenos ocorrem. As diversas atividades regidas pelo cérebro vão desde o simples mover de um dedo, ao piscar de olhos, até a elaboração de atitudes mais complexas.
Podemos citar atos sensórios, reflexos, atividades rnotoras e reações sensoriais, pensamentos, sentimentos, emoções, dor, sensações, desejos, agressividades, memória, inteligência, amor, desejo sexual e uma imensidão de outros comportamentos, e quando são alterados pelo uso abusivo de drogas, tornam a vida do ser humano um inferno.
(Extraído do livro, "Consumo de Drogas e Outros Comportamentos Relacionados"). Rui Palhano.

OBJETIVO  GERAL
Nosso objetivo é promover a recuperação, reintegração profissional e social dos internos, através de programação produtiva e cursos profissionalizantes. A plena recuperação só é completada com retorno para a família, com perspectivas de emprego e, sobre tudo, espiritualmente curado. A promoção do bem-estar, de qualidade de vida para os indivíduos e comunidades, sendo, através de ações clínicas, da conscientização, orientação, prevenção direcionada à comunidade. Intervir especificamente, a nivel curativo e reabilitador da saúde das pessoas, principalmente quanto á dependência química.

OBJETIVOS  ESPECIFICOS
-    Oferecer ao dependente químico, espaço para que ele possa ter uma moradia provisória;
-  Auxiliar na busca de qualificação  profissional  dentro da fase de recuperação;
-   Desenvolver e fortalecer estratégias para que haja maior desenvolvimento social, Educacional, valorizando o ser como integral-bio-psico-social;
-  Criar, estimular e acompanhar programas que visem a melhoria de qualidade de vida dos internos, envolvendo a saúde, direitos humanos, meio-ambiente, responsabilidade social e cultural;
-  Promover ética, paz, cidadania,  direitos humanos e saúde;
-  Possibilitar  atividades  de prevenção,  atendimento,  orientação  e conscientização;
-  Prestar serviços de assistência  social, tanto na saúde, como direitos humanos;
-  Concentrar as finalidades do Centro de Recuperação, atendimento e reabilitação ao dependente químico, assim como de treinamentos e aperfeiçoamentos profissionais nas suas respectivas áreas de interesse;
- Desenvolver ações preventivas e terapêuticas para atendimento de adultos dependentes de álcool ou drogas;
-  Prestar atendimento psicológico, tanto a nível preventivo, como curativo e reabilitador ao dependente químico;
-  Promover cursos, palestras, seminários e programas sociais;
-  Formar muItiplicadores  para atuar, preventivamente,  nas  suas comunidades de origem.


PUBLICO  ALVO
Adultos e familiares, profissionais, população de rua e sociedade em geral. Dando ênfase ao dependente químico.

MODALIDADE  DE TRATAMENTO
O objetivo é tratar dependentes de drogas licitas e ilícitas, bem como auxiliá-Ios em sua reinserção na família e na sociedade, nos aspectos bio-psico-social e espiritual, tanta na abordagem de comunidade terapêutica, corno também, ambulatorial e clinica psicológica. O trabalho, no entanto, só se inicia na condição do desejo expresso do dependente, aceitando as condições que irão normatizar o processo de recuperação.

OBJETIVO  ESPECIFICO  DO TRATAMENTO
BIO
-   Desintoxicação (não medicamentosa) de substancias psicotrópicas por meio de atividades fisicas e alimentares balanceada;
-  Viabilizar atendimento  médico, psicológico  e odontológico  necessários.

PSICO
- Promover o autoconhecimento, refletir sobre si mesmo e os outros, trabalhar emoções e sentimentos;
-  Estimular o autoconhecimento  através de diversos terapias de apoio;
-  Ajudar o residente a aprender o significado  do trabalho e disciplina  na sua vida;
-  Ajudar o desenvolvimento de recursos internos para trabalhar a prevenção e recaídas;
-  Promover o atendimento psicológico individual, familiares e grupos de multi-familia.

SOCIAL
-  Promover  e viabilizar  cursos profissionalizantes;
-  Promover o exercício da cidadania;
-  Promover para as famílias cursos e palestras educativas  preventivas;
-  Desenvolver  relacionamentos  e convivência  comunitárias;
-  Propocinar o retorno ao convívio social e familiar com saídas de visitas à família, para atividades esportivas, culturais, religiosas e de lazer, especificas e acompanhadas (Etapa de reiserção Social);
- Fornecer subsídios para a continuidade de processo de tratamento em grupos de apoio externos, A.A, N.A (Etapa de reiserção Social).

ESPIRITUAL
- Proporcionar meios para desenvolver a dimensão espiritual religiosa através de uma perspectiva ecurnênica;
- Levar o residente à resgatar valores e princípios  morais e espirituais;
- Trabalhar  com os doze passos de A.A.; N.A.

RECUPÉRAÇÃO  ESPIRITUAL
Todos os residentes usuários (dos programas de tratamento do Centro de Recuperação terão a promoção da vivencia da espiritualidade numa perspectiva ecumênica dentro de um espírito cristão.

OBJETIVO  ESPECIFICOS
- Estimular os residentes a entender a mensagem de Cristo num relacionamento no qual recebe seu amor e possa entregar a sua vida;
-    Celebrar vida com fé, de acordo com momentos em que a comunidade está vivendo, assim como na perspectiva da fé. Buscar orientação para vida (binômio: fé e vida);
-    Proporcionar aos residentes, de maneira concreta, a experiência de prece e da meditação, melhorando sempre o contato consciente com Deus:
- Apresentar aos residentes, de forma esclarecedora, os conteúdos a serem ministrados, levando-se em conta os assuntos que os mesmos desejam entender melhor. evitando-se aqueles considerados “polêmicos".





CONSCIENTIZAÇÃO
METODOLOGIA
A espiritualidade compõe uma abordagem que estimula o usuário do programa a a participar de todas as atividades, através dos recursos, instrumentos, métodos e ferramentas do programa. auxilia a promoção de mudanças necessária para manutenção da abstinência e do processo de construção da consciência e do gerenciamento dos componentes.

COMPOSIÇÃO  DE INSTRUMENTOS,   GRUPOS  E REUNIÕES
Ø  Reunião matinal;
Ø  Grupo de acolhimento;
Ø  Higiene e saúde;
Ø Esporte/lazer/cultura/educação profissional;
Ø Grupo de 12 pessoas de alcoólicos anônimos e Narcóticos Anônimos;
Ø Partilha de sentimentos;
Ø Acolhimento;
Ø Grupo de Prevenção a Recaída;
Ø  Grupo de Auto Ajuda;
Ø  Grupo de Sentimento;
Ø  Grupo de Reflexão;
Ø  Cursos/Palestras, Seminários;
Ø  Grupo Familiar;
Ø  Saídas da comunidade;
Ø  Reunião Geral da Família.

LOCALIZAÇÃO
A localização é fora da área urbana da cidade sede do município onde localiza-se a Escola Sócio Ambiental Lagoa da Onça. Sendo que os benefícios são para a comunidade, através do aproveitamento da mão de obra na construção do Centro de Recuperação de Dependentes Químicos Escola Sócio Ambiental Lagoa da Onça, uma vez que o empreendimento disponibilizará oportunidades de trabalho, ensino e lazer para a localidade. A comunidade terá prioridade também na aquisição de bens de consumo no comércio local.
METODO  DE TRABALHO
A PESPECTIVA da "Comunidade Terapêutica" Escola Sócio Ambiental Lagoa da Onça. O tratamento significa uma mudança no estilo de vida que só pode ser alcançado vivendo-se de uma maneira diferente, não só no tocante ao comportamento e atitudes, como também na reabilitação de novos valores e crenças, na pespectiva da não reincidência.
Durante o tempo de permanência no Centro de Recuperação de Dependentes Químicos Escola Sócio Ambiental Lagoa da Onça, os residente serão responsáveis pela arrumação e manutenção do Centro e deverão cumprir uma série de atividades como: Cursos; Palestras; Aconselhamento Individual; Terapia de Grupo; Orientação Psicológica; Terapias Ocupacioual. (Hortas, Artesanatos, Oficinas profissionalizantes), esporte, lazer etc. Todo o tratamento terá como base o acompanhamento educacional e espiritual, com estudos sócio-ambiental-humanísticos bíblicos, encontros de oração e palestras diversas.

COMUNIDADE TERAPEUTICA
O cenário urbano nas grandes cidades brasileiras aponta uma realidade dura para milhares de crianças, adolescestes e adultos. São situações variadas, que incluem a ação de extermínio, tráfico de drogas, abusos e maus tratos; o abandono familiar, a desnutrição; miséria, dentre outros. É somatório de incompreensão, discriminação, exclusão e estigmas, que distanciam esta população da equidade sócial, do fortalecimento da auto-estima e, refletindo sobre vulnerabilidade das novas gerações, na cidade de Imperatriz/MA e em todo o Brasil, principalmente aqueles que estão nas mãos do narcotráfico e da violência urbana, agravando os caminhos da democracia e da cidadania do povo brasileiro. Por isso que apresentamos este projeto, baseado e, algumas vezes, tomando como referencia alguns Centros de Recuperação de outras cidades e em concordância com os princípios e diretrizes estabelecidas pela lei 6368/76 em seu capitulo II - Do Tratamento e Recuperação; pela Política Nacional Anti-drogas (PNAD); pelo Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA); pela Lei Orgânica da Assistência Social (LOAS); pela Agencia Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA)  (que a partir de 31/05/2001, através do RDC - 101, determinou o regulamento técnico para o funcionamento de Comunidades Terapêuticas - Serviço de Atenção a Pessoa com Transtomo Decorrente do Uso ou Abuso de Substancia Psicoativas, segundo modelo Psicosocial); pela Federação Brasileira da Comunidades Terapêuticas (FEBRATEC). Pelo Conselho Anti-drogas (CONAD) e pela Lei de Diretrizes e Base da Educação Nacional – LDBen. A abordagem Comunidade Terapêutica é uma resposta complexa que objetiva tratar a dependência de drogas licitas e ilícitas. através de mudanças de estilo de vida, nos aspectos bio-psico-social e espiritual, ou seja, numa visão de ser humano como um todo, estimulando e desencadeando a construção/reconstrução da cidadania da população alvo.

EQUIPE MULTIDISCIPLINAR
Psicólogos, Psiquiatras, Assistentes Sociais. Pedagogos, Professores, Palestrantes, Técnicos em Enfermagem… Estes profissionais serão contratados pelo poder publico, através de diversas parcerias que serão firmadas e também como voluntariado.

ORÇAMENTO
PARCEIROS  E COLABORADORES
PARCEIROS  FINANCIADORES
AÇÔES  DESENVOLVlDAS
Secretaria Nacional Ant-drogas (SENAD)
Financiador
Secretaria de Assistência Social
Financiador
Serviço Nacional da lndustria (SANAl)
Financiador
Secretaria de Ação Social
Supervisão
Conselho Municipal da Criança e do Adolescente
Supervisão Técnica
Conselho Tutelar
Orientação e encaminhamento
Conselho Municipal ant-drogas
Supervisão
Conselho Estadual Sobre Drogas
Supervisão
SENAD
Supervisão Técnica
Associação  Brasileira  de Estudos  de álcool e outras Drogas
Supervisão Técnica


RECURSOS DA COMUNIDADE/ÓRGÃOS PUBLICOS

Recursos da comunidade
órgãos públicos
AÇÔES  DESENVOLVlDAS
Federação  Brasileira  de Comunidades  Terapêuticas

Cursos de Capacitação
Divisão de Saúde Mental

Cursos de Capacitação


Doações  Diversas


Atendimento


Doações  Diversas







Obs: As parcerias  podem ser feitas através de convênios



  




Parecer Técnico:

Técnico especializado  no assunto.


  




PARECER  JURIDICO

Ministério  Publico








Valor estimado da obra de acordo com o projeto:



16 unidades residências
A= 1.083,36 m2
Guarita
A= 8,53rn2
Centro de Apoio Espiritual
A= 490,50m2
Refeitório/Administração
A= 812,98m2
Fábrica de poupas + sanitários
A= 74,34m2
Área total construída
A= 2.544,05m2
Valor da obra
R$  1 .780.835,00





Conf. Anexos




Todas as Igrejas Ecumênicas
http://4.bp.blogspot.com/_q-v5qXSh164/S2wileD4Y8I/AAAAAAAAAM0/Rer_Gh8j7-w/s320/igrejas.jpgPara o mundo inteiro ecumênico
Ofício 00__/CTE-LFCristo
Imperatriz, ____, __________ de 2013

Assunto: Apresentação do Projeto da Comunidade Terapeutica Ecumenica Livre Fiél em Cristo.
Escola Sócia Ambiental Lagoa da Onça
- E SOLICITAÇÃO FAZ

1.       IDENTIFICAÇÃO
Comunidade Terapêutica Ecumênica Livre Fiél em Cristo
Escola Sócia Ambiental Lagoa da Onça
2.     TITULO DO PROJETO:
Recuperação de Dependentes Químicos
3.     INSTITUIÇÃO PROPONENTE:
Comunidade Terapêutica Ecumênica Livre Fiél em Cristo
4.     DADOS DA INSTITUIÇÃO MANTENEDORA:
IGREJA ECUMÊNICA LIVRE FIÉL EM CRISTO
Fundação Brasil de Fomento à Educação Ambiental e Humanística
CNPJ-MF: Nº 02.768. 848/0001-90
Endereço: Rua Fortunato Bandeira nº 1715-A
CEP: 65.907-010 – Nova Imperatriz – Imperatriz - MA
Fone: (99) 3525-3584 – 8154 0899 – 8111 8177
C/C: xxxxx-x - Banco do Brasil Agência: 6644-0
RESPONSÁVEL: Professor Negreiros, Deuzimar Menezes
Profissão: Professor, Teólogo, Filósofo e Pedagogo
5.     RESPONSÁVEL PELA INSTITUIÇÃO PROPONENTE:
Nome: Raimundo Pinto de Souza
C.P.F. 192.855.402-44 RG: 416157955 SSP/MA
Endereço: Escritório: Rua Fortunato Bandeira, 1715-A
CEP: 65.907-010 - Nova Imperatriz
Profissão: Professor, Teólogo, Filósofo e Psicoterapeuta Clínico
Função na Instituição: Diretor da Comunidade Terapeutica Ecumenica Livre Fiél em Cristo
Fone: (99) 3072-3073 - 8204 2393 TIM – 8828 9807 OI – 9136 3969 VIVO

M.D.Sr[ª].  ______________________________________________________
Diretor/Gerente da


M.D.Sr[ª].  ___________________________________________________
Diretor/Gerente da



A diretoria da COMUNIDADE TERAPEUTICA ECUMENICA LIVRE FIÉL EM CRISTO Escola Sócio Ambiental Lagoa da Onça localizada na gleba Fazenda Serra, constituída do lote 37 da Gleba 15 do Loteamento Fazenda Serra [conhecida como “Lagoa da Onça”], situada no Município de São Miguel do Tocantins – TO, vem vos apresentar o Projeto COMUNIDADE TERAPEUTICA ECUMENICA LIVRE FIÉL EM CRISTO Escola Sócio Ambiental Lagoa da Onça, anexo a este ofício, para a sua aprenciação e colaboração através de vossa ação social, a esta comunidade.
Neste momento oportuno vos solicita contribuição ou em alimentos perecíveis e não perecíveis para a manutenção dos drogaditos que se encontram internos nessa Comunidade em fase de tratamento terapêutico ou contribuição em materiais para a construção de espaço fisico, oficinas e manutenção de trabalhos loboterápicos dos drogaditos internos na Comunidade em fase de tratamento, por meio do Projeto "GENTE SÃ". Combatendo através de prevenções, tratamentos e recuperação de drogaditos, a Violência que se origina no indivíduo consumidor financiador de drogas.
Sendo o que tínhamos para o momento, reiteramos os votos de elevadas estimas e considerações.


Atenciosamente,


___________________
Raimundo Pinto de Souza
Reverendo Presidente

COMUNIDADE TERAPÊUTICA ECUMÊNICA LIVRE FIÉL EM CRISTO